Empresa responsável pelo transporte coletivo de Rolândia diz estar "sendo perseguida pelo prefeito interino Roberto Negrão"

Prefeito interino, Roberto Negrão, teria deixado de realizar os pagamentos à empresa Vysa Transportes; A medida adotada pela administração, impediu à circulação dos ônibus escolares no município e deixou 904 estudantes sem aula. 

Na última quarta-feira (3), a cidade de Rolândia amanheceu sem o transporte coletivo. Cerca de 20 mil pessoas, que dependem do transporte coletivo todos os dias para estudar e ir trabalhar, foram prejudicadas. 

Em ofício enviado ao gabinete do prefeito interino, Roberto Negrão, na última terça-feira (2), a empresa Vysa Transportes notificou à prefeitura sobre o atraso nos pagamentos e solicitou para que fosse realizado o repasse dos valores pendentes com urgência. A administração não teria atendido o pedido da empresa e os serviços deixaram de ser prestados, pois o atraso nos pagamentos teria deixado os empresários sem condições financeiras de prestar o serviço ao município, devido aos gastos com combustível, funcionários e a manutenção da frota.



No ofício, o empresário Jeferson Marques da Silva, que é proprietário da empresa Vysa, relata que "Curiosamente, a pessoa que ocupa o cargo de prefeito desta cidade, era sócio administrador da empresa Transporte Coletivo Da Cidade De Rolândia (TCR), que participou do processo licitatório em 2014 e perdeu a licitação". Jeferson disse ainda, que "está a vendo uma visível perseguição contra sua empresa e que os pagamentos não estariam sendo realizados, talvez por sentimento de vingança do atual prefeito por ter perdido a licitação no ano de 2014.

A reportagem do Portal Rolândia 190 tentou contato com o prefeito interino, Roberto Negrão, mas não obteve sucesso até o fechamento desta matéria. 

Reportagem: Jornalista Jean Henke / MTB: 11525/PR

DESTAQUE 831673862407008230

Postar um comentário

emo-but-icon

item
auto